terça-feira, 27 de junho de 2017

Seu filhote ainda faz xixi na cama? Fisioterapia urológica ao invés de medicação – Relato de Mãe

fisioterapia urológica, nada de tofranil - imipramina - foram indicadas 10 sessões - bastaram 5!




Por Marise Jalowitzki

Recebi o questionamento de uma mãe que levou sua menina de 8 anos ao médico, pois a pequena faz xixi na cama frequentemente, independente se toma líquido antes de dormir ou não. O médico, em uma única consulta de 5 minutos, receitou Tofranil (imipramina) e disse pra voltar em um mês. A menina não se deu bem com a medicação e continuou com a enurese. A mãe, preocupada, pergunta o que fazer.
Sabemos que, em uma grande quantidade de situações, o fato de não segurar o xixi enquanto dorme pode estar ligado a fatores emocionais como medo, angústia, ansiedade. É bem importante que pais reflitam sobre este aspecto, acompanhem as emoções vivenciadas pelo filho durante o dia, estabeleçam um diálogo aberto, disposto à escuta. Muita coisa se resolve assim, com uma boa conversa, rotineiramente. Noutras vezes, fica importante proporcionar uma terapia psicológica à criança, pois nem sempre ela consegue se abrir com os pais ou mesmo reconhecer o que está causando este suposto medo. Também os Florais, Homeopatias e Fitoterápicos podem ajudar. E, neste artigo, vamos comentar também sobre outro tipo de tratamento: a fisioterapia urológica.

Sobre o Tofranil - cloridrato de imipramina = Imipramina

Quanto à imipramina, ela nem deveria estar tomando, receita que nem deveria existir, pois a imipramina pertence aos antidepressivos tricíclicos, que não são liberados para crianças, especialmente para casos diagnosticados como TDAH.

A FDA (Foods and Drugs Agency - Agencia Reguladora de Alimentos e Drogas dos EUA) e o NIMH - National Institute of Mental Heath - Instituto Nacional de Saúde Mental, orgãos cujas diretrizes o Brasil segue, não liberam este psicofármaco (imipramina) para crianças, somente para indivíduos a partir dos 18 anos. O uso no Brasil, portanto, é "off-label" - "fora-de-rótulo", “fora de autorização”, ou seja, está sendo receitado para indicações não aprovadas pelos órgãos oficiais por ocasião da autorização de comercialização.

(Ao final desta página, veja link sobre imipramina)

Esta orientação (de não receitar antidepressivos tricíclicos para crianças) não vem sendo seguida por muitos médicos brasileiros, ou por desconhecimento ou imperícia mesmo!
Antidepressivos tricíclicos são denunciados todos os dias como uma das maiores causas de suicídio, especialmente entre jovens. Suicídio é a 3ª causa de morte entre adolescentes e jovens.

Efeitos colaterais adversos aparecem logo ou um tempo após a ingestão de psicotrópicos

A maioria dos psicofármacos começa funcionando bem. Os pais sentem um alívio, a escola para de pressionar, o médico fica satisfeito por ter “acertado”... a criança, achatada, “finalmente” resolveu se aquietar!... Depois de um determinado tempo, volta ao que era antes, ou piora, ou aparecem outras complicações (que os médicos chamam de comorbidades). São, na verdade, efeitos colaterais dos medicamentos. Psicotrópicos tem TANTA contra indicação que os médicos, por vezes, nem conhecem todos os efeitos colaterais e, aí, receitam um que interage com o outro, o que só faz piorar!!... Mais a alimentação indevida, o entorno (mundo adulto) que não para pra pensar em sua parcela de responsabilidade [e necessária mudança] e a zorra está feita – nas costas da criança, claro e, por tabela, na dos pais que não sabem mais o que fazer.

Psicotrópicos não são para crianças. Na verdade, não servem para ninguém por muito tempo. Mas, o estrago que fazem em um corpinho em desenvolvimento, afetando outras áreas do cérebro, trazendo efeitos devastadores também no físico, isto ainda não se divulga com a regularidade que deveria.

Cabe aos pais tomar a decisão de continuar administrando ou parar, com o devido acompanhamento, substituindo gradativamente por medicações das outras medicinas e mais práticas alternativas.

Querendo, há mais para ler e se informar. - http://compromissoconsciente.blogspot.com.br/2014/04/o-lucas-tem-acordado-meio-confuso.html - 

http://tdahcriancasquedesafiam.blogspot.com.br/2016/01/tdah-quando-o-adolescente-chora-e-pede.html - Tratamentos homeopáticos atendem a estes sintomas sem os efeitos adversos do Tofranil (ou outros). Abs Marise Jalowitzki

Seu filhote ainda faz xixi na cama? Fisioterapia urológica ao invés de medicação – Relato de Mãe

A mãe Priscila T., depois de cansar de tanta receita de medicação pesada para seus filhotes de 6 e 9 anos, resolveu pesquisar sobre alternativas. Encontrou a fisioterapia urológica. Leia o relato:

 “Meus filhos tinham enurese noturna e a melhor coisa que recomendo hoje a fazer é fisioterapia urológica. Um dos medicamentos receitados era o Tofranil (imipramina) para a enurese... imagina tomar a vida toda isso se não curasse! Aí fiz a fisioterapia e apenas em 5 sessões mudou tudo. Bem melhor que dar remédios a estes anjos...
Nem eu sabia que existia...rsrsrs... aí, de tanto a médica receitar qualquer coisa, sem resultado, comecei a pesquisar e achei isso. Foi uma maravilha...  só que é preciso suspender a medicação que ele está tomando, senão você não irá ver se a fisioterapia está fazendo efeito. Eu fiz ao final do ano passado nos meus dois meninos de 9/6 anos.

Consiste em uns choques que eles ganham no meio da perna, coisa leve para estimular a vontade de fazer xixi durante o dia. Também tem que fazer teu filho ir ao banheiro a cada duas horas e em seguida toma água. Fiz 5 vezes, era pra fazer 10 e nem precisou. Eles só fazem xixi agora se bebem líquido muito tarde da noite, mas é bastante raro acontecer...


Acho um pecado estes médicos só receitar medicação para crianças, sendo que existem outros meios.. o meu tem tdah e eu optei pelo floral. Tem de ter paciência, mas ajuda. Estes remédios pra esta idade é muita química...” 

Em concordância total!

Novas terapias
O biofeedback e a eletroestimulação de superfície são novas opções terapêuticas para as crianças com distúrbios miccionais. 
O biofeedback é uma técnica desenvolvida nos anos 60 para pacientes neurológicos, mas que na prática urológica pediátrica tem pouco mais de 10 anos. Permite que a criança, primeiramente, tome consciência do funcionamento da musculatura perineal e, a partir destas informações, possa trabalhar para melhorar a qualidade do esvaziamento da bexiga. 
A eletroestimulação sacral transcutânea é uma técnica segura e comprovadamente eficaz* para o tratamento de crianças com bexiga hiperativa. Tem vantagens sobre os tratamentos farmacológicos, como a inexistência de efeitos adversos.

Do LIVRO TDAH CRIANÇAS QUE DESAFIAM
"Neurofeedback
Determinados estudos evidenciam que a principal característica neurológica do TDAH é um excesso de ondas de baixa frequência (ondas lentas) no córtex frontal, não permitindo a transmissão adequada de impulsos nervosos entre os neurônios. As descargas elétricas são a base de transmissão de informação entre os neurônios, responsáveis pelo funcionamento do cérebro. Sendo o córtex pré-frontal o responsável pelas funções de controle voluntário da atenção, planejamento, julgamento, tomada de decisão, autocontrole, e outras, surgem então os sintomas do TDAH. 




Segundo o EEG Spectrum Affiliate (República Tcheca) neurofeedback ou neurobiofeedback é um conjunto de procedimentos baseados no processo de reforçamento condicionado, no qual se aprende a controlar a frequência das ondas cerebrais. Esta alteração atua sobre a base biológica do transtorno, proporcionando então um efeito duradouro e não apenas momentâneo como os produzidos pelos psicoestimulantes (estimulação química). 

O treinamento de neurofeedback é um procedimento indolor, não invasivo. Um ou mais sensores são colocados sobre o couro cabeludo, e uma em cada orelha. As ondas cerebrais são monitoradas por meio de um amplificador e um instrumento baseado em computador, que processa o sinal e fornece a informação adequada. Isto é apresentado ao paciente, por meio de um jogo de vídeo, ou outro monitor de vídeo, juntamente com os sinais de áudio. O indivíduo é convidado a conduzir o jogo de vídeo com seu cérebro. 

Com o aumento da atividade de banda em frequência desejável, o jogo de vídeo se move mais rápido, ou alguma outra recompensa é dada. Com a atividade em aceleração diversa da banda, o vídeo game é inibido. Aos poucos, o cérebro responde convenientemente aos estímulos que estão sendo dados, e uma "aprendizagem" de novos padrões de ondas cerebrais ocorre. O novo modelo é mais próximo do que normalmente observado em indivíduos sem essas deficiências.

O tratamento pode durar de 30 a 60 sessões de, em média, 45 minutos (a primeira dura 2h). Essa é uma alternativa para pleitear uma redução da medicação ou até mesmo a extinção do tratamento medicamentoso (metilfenidato), uma vez que consiga, após o tratamento com neurofeedback, aumentar sua frequência cerebral. A durabilidade do tratamento, ao contrário dos medicamentos psicoestimulantes, acontece de uma maneira duradoura e sustentada.


No caso do TDAH, a impulsividade, distração e hiperatividade podem todos responder ao treinamento. Isso pode levar a muito mais bem sucedido desempenho escolar. As funções cognitivas podem melhorar bem. Em vários estudos controlados, foram encontrados aumentos de 10 e mais pontos no QI de um grupo representativo de crianças com TDAH. O comportamento pode ser modificado em outros aspectos também: Se a criança é muito birrenta, é beligerante, e até mesmo violenta ou cruel, esses aspectos de comportamento podem ficar controlados na criança... Aqui também cabe ponderar..." (pág 121 e 122 - Livro TDAH CRIANÇAS QUE DESAFIAM de Marise Jalowitzki)

 Marise Jalowitzki é educadora, escritora, blogueira e colunista. Palestrante Internacional, certificada pelo IFTDO - Institute of Federations of Training and Development, com sede na Virginia-USA. Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas. Criou e coordenou cursos de Formação de Facilitadores - níveis fundamental e master. Coordenou oficinas em congressos, eventos de desenvolvimento humano em instituições nacionais e internacionais, escolas, empresas, grupos de apoio, instituições hospitalares e religiosas por mais de duas décadas Autora de diversos livros, todos voltados ao desenvolvimento humano saudável. marisejalowitzki@gmail.com 

blogs:
www.tdahcriancasquedesafiam.blogspot.com.br


LIVRO TDAH CRIANÇAS QUE DESAFIAM
Informações, esclarecimentos, denúncias, relatos e dicas práticas de como lidar 
Déficit de Atenção e Hiperatividade


Querendo, leia:

http://compromissoconsciente.blogspot.com.br/2014/04/o-lucas-tem-acordado-meio-confuso.html


Que nossos pequenos possam viver a Vida que vieram para viver, ditada por Aquele que Nos Fez!




Nenhum comentário:

Postar um comentário