sexta-feira, 31 de março de 2017

TDAH, TDO, Dislexia, Disgrafia - Hoje meu filho se percebe alem das siglas, já ousa sair de trás delas para mostrar do que é capaz. Sua condição de ser tdah ou tdo é mais uma como ser canhoto, ser loiro ... RELATO DE MÃE


Vou enxugar até mesmo no orçamento doméstico, mas vou mudar pra melhor a vida de meu filho! Quero ajuda-lo a se reconstruir e se fortalecer!" Após três anos de medicação psicotrópica, mãe determinada a melhorar a qualidade de vida de seu filhote, muda de medicina e olha como está este menino agora!





31.março.2017
http://tdahcriancasquedesafiam.blogspot.com.br/2017/03/tdah-tdo-dislexia-disgrafia-hoje-meu.html


Começamos nossas conversas em maio de 2016. Marina já estava procurando saídas saudáveis para seu filhote. Tinha uma meta: já no início de 2017 queria seu filhote limpo dos psicotrópicos e livre para viver uma vida saudável! Assistiu muita coisa, leu muita coisa, sempre se surpeendendo de como a linha alopática e seus seguidores (medicina mais usual no Brasil) nunca mencionava os possíveis riscos dos medicamentos psicotrópicos. "Veja só, não vi em momento algum alerta sobre as consequências do uso de medicamentos" O garotinho estava tomando há 3 anos metilfenidato (ritalina) e aripiprazol!! Diagnosticado como TDAH e TOD... apresentava agitação, ansiedade e impulsividade...  Comentei, claro, sobre homeopatia, essências florais. A mãe compareceu em farmácia homeopática em busca de referências. Sabiamente ponderava: "Quero muito mudar a vida do meu filho, mas com cuidado, cautela. Ano que vem ele troca de escola e já quero que ele esteja usufruindo dos resultados do novo tratamento. Vou enxugar até mesmo no orçamento doméstico, mas vou mudar pra melhor a vida de meu filho! Quero ajuda-lo a se reconstruir e se fortalecer!"





Neste blog e no Compromisso Consciente já comentei muito sobre metilfenidato. Sobre o terrível aripiprazol, pode ser lido aquiConhecendo efeitos nocivos do aripiprazol








O pequeno já estava apresentando tiques, tinha gestos inesperados, mesmo quando estava calmamente assistindo a algum programa e, aí, subitamente, parava tudo!

A dúvida da mãe, naquele momento, era sobre a indicação do farmacêutcio que disse para "suspender tudo" e dar somente a homeopatia que ele estava indicando. Sim, era bastante arriscado, pois os psicotrópicos geram dependência e os riscos de uma suspensão súbita podem ser desastrosos! Enviei solicitação à homeopata infantil Vera Beatriz Telichevesky, que respondeu: "oi, Marise! acho imprudente suspender tudo de uma vezl, penso que deve suspender um de cada vez e aos poucos, tenho receio sim da abstinência!!!!  Escrevi mais algumas considerações para a Vera e ela respondeu: "Então o bom senso deve prevalecer. Claro que pode citar meu nome! Fala pra ela diminuir 1 medicamento por vez. Não há risco de interação com a homeopatia, a partir de 60CH. Começaria pelo aripriprazol. Depois a risperidona e por último o metilfenidato. Gratidão pela confiança!

E seguimos nossos comentários, enviei um exemplar do Livro TDAH Crianças que Desafiam, fiquei torcendo por um excelente tratamento com um profissional realmente compromissado. a mãe, esperançosa, declarando: "Sim, não vou desistir e ainda vou testemunhar nossa vitória com o seu apoio... e a mãe seguiu procurando um médico em quem pudesse confiar e em quem sentisse segurança e assertividade!
Marise Jalowitzki





Agora, olha o que chegou no dia de hoje:

Por Marina Barros:
"Esse textão é para quem tem filho com tdah, tdo, dislexia, disgrafia, tea, e outros tantos transtornos que interferem na aprendizagem, e também gostam da homeopatia ou tratamentos alternativos.

Sem entrar em muitos detalhes, em 2012 comecei a ter problemas com a escola do meu filho, então com 7 anos, ate que culminou com a transferência compulsória dele e, por pressão e desespero fui atrás de atendimento psiquiátrico. Mesmo em tratamento psiquiátrico, tomando a tão famigerada ritalina e alternando outro medicamento que pudesse fazê-lo se enquadrar em sala de aula, ainda assim, sofreu novamente outra transferência compulsória e todas as consequências danosas que tudo de isso acarreta numa criança.

Já em 2016, desesperada, desequilibrada, sem esperança e no ímpeto de evitar uma terceira transferência compulsória, busquei apoio legal no ministério público, onde consegui encaminhamento para psicólogo e pedagogo no Cemad. Senti pela primeira vez uma luz no fim do túnel, pois com profissionais capacitados, vi meu filho sendo tratado como uma criança cheia de potencialidades e não como um rótulo, fadado e viver em função dele.

Agora em 2017, levei-o a outro psiquiatra e neuropsicologa para uma segunda avaliação, onde foi confirmado tudo que já estava cansada de saber.

Buscando aprofundar o olhar holístico sobre meu filho, levei-o na dra. Rosivar Miguel dos Santos, onde foi levantado todo seu histórico biopsiquicossocial, realizado exame de bioressonancia, desintoxicacao rife e leitura de aura e tratamento energético pela Cleonice Matos.

Para quem acredita que o efeito de tratamentos homeopáticos e alternativos são lentos, só digo que a nota das primeiras provas para os simulados aumentaram praticamente todas, que os comportamentos desafiadores com colegas e professores diminuíram drasticamente, quase cessando, que os comportamentos de inquietude em sala de aula caíram pela metade, que o sono demasiado longo (+de 10 h, as vezes 12h), agora são de 9h, que ainda há de ser tratar a agitação do sono, a ansiedade, o copiar das atividades em sala de aula, mas nesses últimos três meses, observei melhoras, crescimento capacidades que não tinha observado em 4 anos.

Hoje meu filho se percebe alem das siglas, já ousa sair de trás delas para mostrar do que é capaz. Sua condição de ser tdah ou tdo é mais uma como ser canhoto, ser loiro ...

A dra. Rosivar está coordenando um projeto para ampliar esse atendimento via SUS, mas para isso necessita de apoio, mesmo assim, quem tiver a oportunidade de consultá-la ou outro profissional dessa área indico, apoio e acredito que também verá bons resultados!"

As terapeutas mencionadas neste artigo estão no 


Medicina e saúdeAnápolis, Goiás
https://www.facebook.com/institutosattwa/










Marina Barros é de Anápolis, Goiás





 Marise Jalowitzki é educadora, escritora, blogueira e colunista. Palestrante Internacional, certificada pelo IFTDO - Institute of Federations of Training and Development, com sede na Virginia-USA. Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas. Criou e coordenou cursos de Formação de Facilitadores - níveis fundamental e master. Coordenou oficinas em congressos, eventos de desenvolvimento humano em instituições nacionais e internacionais, escolas, empresas, grupos de apoio, instituições hospitalares e religiosas por mais de duas décadas Autora de diversos livros, todos voltados ao desenvolvimento humano saudável. marisejalowitzki@gmail.com 

blogs:
www.compromissoconsciente.blogspot.com.br


LIVRO TDAH CRIANÇAS QUE DESAFIAM

Informações, esclarecimentos, denúncias, relatos e dicas práticas de como lidar 
Déficit de Atenção e Hiperatividade


Nenhum comentário:

Postar um comentário