segunda-feira, 28 de setembro de 2015

TDAH - Oxcarbazepina NÃO É LIBERADA no Brasil para tratamento de déficit de atenção


Mãe só descobre que o medicamento não é para déficit de atenção ao receber a negativa de gratuidade no recebimento pelo SUS. E quantas mães vão, confiantes, até o balcão da farmácia, receita na mão, e levam oxcarbazepina (oxcarbazepine) para a criança diagnosticada como desatenta?


QUEM DEFENDE O CIDADÃO NOS CASOS DE ERROS MÉDICOS?
VEJA, AO FINAL DA PÁGINA, LINK CONTENDO ENTREVISTA COM DR. LISANDRO CALIR ADAMES



Por Marise Jalowitzki
28.setembro.2015
http://tdahcriancasquedesafiam.blogspot.com.br/2015/09/tdah-oxcarbazepina-e-proibida-no-brasil.html


Para mim, por vezes, é bem difícil escrever sobre os temas que me chegam às mãos. Eles me estarrecem, tenho dificuldades em respirar. Com muita dor,"rasgo-me" em escrever um artigo o mais esclarecedor possível, no afã de dar conhecimento o mais possível às mães. 

COMO calar quando se conhece algumas coisas assim terríveis? E quando se percebe o muito que, simplesmente, não é dito para os pais de crianças que recebem a receita do médico para tratar, por exemplo, de uma reclamação da escola porque a criança é lenta em copiar tudo o que exaustivamente a professora escreve no quadro de giz???

Pois há alguns dias uma mãe veio perguntar sobre um "remédio" que o médico havia receitado para seu filhote de 9 anos que estava com este "diagnóstico": Déficit de Atenção.

A mãe traz de sua angústia pois, ao levar seu filhote uma única vez ao médico, já saiu de lá com a receita na mão, nenhum outro exame ou encaminhamento foi solicitado. Ela diz, como em um lamento: Meu filho é bom, é um menino querido, é atencioso e carinhoso. Só na escola que a professora reclama que ele não quer copiar o tema, ficando lá, copiando devagar demais!

Pergunto qual o medicamento receitado pelo médico e ela diz: Oxcarbazepina. Respiro fundo e envio a lista de efeitos adversos, iniciando pelos mais comuns (1 em cada 10 crianças medicadas apresenta tais efeitos). 

Ela lê a primeira lista e exclama: "Que horror! Que horrível isto! Mas, este remédio é pra Desatenção?"

Resposta:"É um antiepiléptico, usado off label para tdah, usado para conter a agressividade... Ela repete... "meu filho não é agressivo, é só desatento na escola..." Ela pergunta o que é off label e respondo. Agora, resolvo escrever mais este artigo!...







Como outra mãe (de MG) descobriu que o fármaco receitado estava errado!

Este é o caso de um garoto tem 13 anos de idade e é apontado como portador de déficit de atenção. A mãe, receita na mão, vai até o SUS e recebe a informação que o medicamento não é fornecido pelo SUS, portanto, sem gratuidade no recebimento. Ela procura um advogado na Defensoria Pública, que encaminha o caso a um Juiz e este interpela o SUS. a fim de ver a possibilidade de obter o psicofármaco.

A resposta do SUS:
"A Oxcarbamazepina é um derivado natural da Carbamazepina, sendo consenso que este fármaco apresenta o mesmo mecanismo de ação da Carbamazepina (inibição dos canais de sódio e dos canais de cálcio) e é usado nas mesmas condições clínicas, não existindo diferenças consistentes entre ambas. Evidências científicas não sugerem superioridade de uma em relação à outra. A carbamazepina esta listada na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais(Rename)."

"A oxcarbamazepina é um anticonvulsivante, indicado no controle de diversas crises epiléticas e com indicação secundária no tratamento de transtorno afetivo bipolar e dor neuropática. Não existe nenhuma comprovação científica referente à indicação de oxcarbamazepina no tratamento de déficit de atenção com hiperatividade e seu uso com esta finalidade não é aprovado pela ANVISA e nem pela FDA (Food and Drug Administration – US)." (Tribunal de Justiça de Minas Gerais - 2013)
(Convém ressaltar que o uso fora das indicações de bula, isto é, uso terapêutico não autorizado, significa que a ANVISA não reconhece como uso seguro e/ou eficaz.)

"A oxcarbamazepina (ou oxcarbazepina) não consta na RENAME e, portanto, não é disponibilizada pelo SUS. "

O caso todo consta aqui:
Biblioteca Digital do TJMG > Judicialização da Saúde > Respostas Técnicas 
http://bd.tjmg.jus.br:80/jspui/handle/tjmg/5247
NATS RR 82 2013 Oxcarbamazepina complementar (2).pdf 
http://www.cnj.jus.br/files/conteudo/destaques/arquivo/2015/04/6f8a46bc1838c359425c3b2315a9ff11.pdf - Também sobre Lisdexanfetamina


Entendendo a tabela de Classificação dos Efeitos Colaterais


As reações adversas (Tabela 1), estão listadas por ordem de frequência, a mais frequente primeiro, usando a seguinte convenção: 
- muito comuns - 1/10, ou seja, 1 paciente-usuário em cada dez pacientes-usuários apresenta estes efeitos colaterais. 
- comuns - de 10 a 100, ou seja, entre 10 a 100 pacientes-usuários, registra-se um paciente que apresenta os efeitos colaterais. 
- incomuns - de 100 a 1000, ou seja, entre 100 a 1000 pacientes-usuários, um paciente apresenta tais efeitos colaterais  (≥ 1/1.000, < 1/100); 
- raras - de 1000 a 10.000, ou seja, entre 1000 a 10.000 pacientes-usuários, um paciente apresenta tais reações colaterais (≥ 1/10.000, < 1/1.000); 
- muito raras - mais que 10.000 pacientes-usuários, um paciente registra tais efeitos colaterais (< 1/10.000); incluindo relatos isolados. 


Você sabe o que significa a expressão "Uso off label"? 


"Off label" é uma expressão usada nas explicações sobre medicamentos controlados que NÃO TIVERAM autorização nem da ANVISA, nem da FDA - Food and Drug Administration -USA (órgão controlador de alimentos e medicamentos, incluindo os psicofármacos, dos Estados Unidos); recomendações que o Brasil segue.  

Portanto, é um medicamento usado fora da recomendação oficial, onde o médico receita sem ter nenhuma comprovação de que é eficaz, de que pode ajudar o paciente. Ou seja, não foram efetuados testes e-ou pesquisas suficientes que garantam a eficácia do tratamento, podendo, portanto, apresentar efeitos imprevisíveis no paciente. Estão usando seu filho como um experimento não autorizado, pois nem a mãe sabe dos riscos.



Efeitos secundários de Trileptal - oxcarbazepina


Efeitos secundários comuns de Trileptal oxcarbazepina 

Severos
- Infecção aguda do nariz, garganta ou Sinus 

Graves                        
- Sensação de Tontura - Girando -  

Menos Graves                                        
- Confusão –                                                                         
- Visão dupla
- Sonolência
- Dor
- Movimento involuntário dos olhos
- Movimentos Involuntários
- Alterações de humor
- Problemas com Visão
- Cólicas
- Falta de coordenação


Efeitos secundários pouco frequentes de Trileptal oxcarbazepina

·         Severos
·         Anormal pressão arterial baixa -                                           
·         Diminuição da nitidez da visão -                                          
·         Febre -                                                                                   

·     Graves
      Gravação anormal da atividade elétrica do cérebro -             
      Fit -                                                                                         
·         Infecção -                                                                               
·         A infecção causada por um vírus -                                        
·         Baixa quantidade de sódio no sangue -                                  
·         Efeito tóxico no cérebro ou na medula Função Cord -          

·         Menos Graves
      Manejo anormal ao andar                                                    
·         Acne                                                                                       
·         Dores nas costas                                                                    
·         Bronquite                                                                                
·         Equimose                                                                               
·         Dor Torácica                                                                          
·         Problema crônico de sono                                                   
·         Confusão                                                                                
·         Tosse                                                                                      
·         Diarréia                                                                                   
·         Dificuldade em falar                                                               
·         Boca seca                                                                               
·         Excesso de micção                                                                
·         Sudorese excessiva                                                                   
·         Sede excessiva                                                                          
·         Vontade de vomitar                                                                 
·         Sentindo Inquietude                                                                  
·         Retenção de líquidos nas pernas, pés, braços ou mãos             
·         Evacuações incompletas ou pouco frequentes                           
·         Indigestão                                                                                  
·         Inflamação do nariz                                                                   
·         Inflamação ou infecção da Vagina
·         Perda de memória
·         Pouca Energia, lentidão
·         Fraqueza muscular
·         Nervosismo
·         Hemoragia Nasal
·         Erupção cutânea
·         Reação devido a uma alergia
·         Sinus irritação e congestionamento
·     
·         Vermelhidão temporária do rosto e pescoço
·          Irritação na Garganta
·         Vômitos
·         Infecção do Trato Urinário
·         Ganho de Peso


Os efeitos secundários raros de Trileptal  oxcarbazepina

·          Severos
      Broncoespasmo
      Queima de estômago

       Graves
      Alteração da função hepática - Testes
·         Diminuição adquirida de todas as células do sangue
·         Erupções pustulosas agudas a Erupções na pele
·         Insuficiência renal aguda em pacientes com doença grave do fígado
·         Reação alérgica causada por uma droga
·         Sangue vindo do ânus
·         Cataratas
·         Priapismo - ereção dolorosa continuada
·         Diminuição das plaquetas do sangue
·         Diminuição das células brancas do sangue
·         Deficiência de Granulócitos, um tipo de glóbulo branco
·         Distúrbio na capacidade do olho para Foco
·         Eritema Multiforme
·         Cálculos biliares
·         Urticária gigante 
·         Pensamentos suicidas
      Suicídio
·         Hemorragia no cérebro
·         Pressão arterial elevada
·         Aumento de eosinófilos no sangue
·         Inflamação do intestino grosso
·         Rim Inflamação
·         Pedra no rim
·         Manchas roxas ou marrons grandes na pele
·         Ameaça à vida 
      Reação alérgica
·         Baixa contagem do sangue devido à falha na Medula Óssea 
·         Problemas no tecido pulmonar
·         Pancreatite
·         Convulsões repetidas com inconsciência entre os episódios
·         Batimento cardíaco lento
·         Síndrome de Stevens-Johnson
·         Linfonodos inchados
·         Lúpus eritematoso sistêmico
·         Necrólise Epidérmica Tóxica


·         Menos Graves
      Comportamento Agressivo
·         Interesse alterado em ter relações sexuais
·         Ansiedade
·         Urina sangrenta 
·         Doença ou lesão cerebral causando Incapacidade de se comunicar
·         Não pode se concentrar pensamentos
·         Delirium
·         Urinar doloroso ou difícil
·         Queda de cabelo
·         Hemorragia da conjuntiva do olho
·         Hemorragia das gengivas
·         Aumento da fome
·         Comportamento Indiferente
·         Dores Articulares
·         Não se sentir bem, desconforto
·         Dormência
·         Problemas de Comportamento
·         Problemas com períodos
·         Dificuldade para respirar
Tiróide subativa


COMO, por exemplo, a Síndrome de Stevens-Johnson está incluída como GRAVE (acima) e no texto a seguir consta como "resultado potencialmente letal"???

 Síndrome de Stevens-Johnson  Mais detalhes 
 (SJS) e necrólise epidérmica tóxica (RTE), definidos por bolhas generalizadas decorrentes de máculas e / ou alvos atípicos planos são doenças com características clínicas homogêneas e um resultado potencialmente letal. [1] SJS é geralmente associada com várias drogas antiepilépticas, incluindo carbamazepina, lamotrigina, fenobarbital, fenitoína, e ácido valpróico. [2]
http://www.idoj.in/article.asp?issn=2229-5178;year=2011;volume=2;issue=1;spage=13;epage=15;aulast=Sharma

Já no Brasil, o que consta: 

"Geralmente, os pacientes da síndrome de Stevens-Johnson são transferidos para centros médicos de referência, que se concentram no sul e no sudeste do Brasil. Embora o óbito devido à síndrome não seja comum, ele pode acontecer por complicações, até por tratamento inadequado." (Qualicorp)

E em um estudo de casos menos graves de SSJ, onde os pacientes sobreviveram, são estudadas as sequelas oculares em 14 pacientes, entre 1998 e 1999, só em um Departamento da UNIFESP!

"Objetivos: Avaliar a qualidade de vida dos pacientes portadores de síndrome de Stevens-Johnson. Sequelas oculares
Métodos: Foram avaliados 14 pacientes com SSJ no período de 1998 e 1999 no Setor de Córnea do Departamento de Oftalmologia da UNIFESP. (5 por Carbamazepina-Dipirona; 7 por Dipirona.) http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0004-27492003000100013&script=sci_arttext 


PDF sobre resposta do SUS ao Juiz mineiro cita as seguintes fontes:
REFERENCIAS: 1. Kevin R Krull: “Attention deficit hyperactivity disorder in children and adolescents: Treatment with medications”; Disponível em http://www.uptodate.com Literature review: Apr 2013. | This topic last updated: Jan 2, 2013 2. Oxcarbazepine: Drug information Disponível em http://www.uptodate.com Copyright 1978-2013 Lexicomp, Inc


Leia mais sobre a Síndrome de Stevens-Johnson AQUI:

TDAH - Carbamazepina e oxcarbazepina são as causas mais comuns da Síndrome de Stevens-Johnson



"A carbamazepina é a causa mais comum da síndrome de Stevens-Johnson (SJS) e um novo fármaco anti-epiléptico, oxcarbazepina, está estruturalmente relacionado com a carbamazepina, também tem sido demonstrado como indutor de SJS." ( NCBI -Gov.EUA) - Trileptal - carbamazepina - oxcarbazepina - Tegretol - 

No Brasil, este medicamento também vem sendo largamente utilizado para Déficit de Atenção, mesmo não sendo liberado pela ANVISA para este fim.

Por Marise Jalowitzki

28.setembro.2015

http://tdahcriancasquedesafiam.blogspot.com.br/2015/09/tdah-carbamazepina-e-oxcarbazepina-sao.html





URGE UMA REVISÃO SÉRIA EM RELAÇÃO AOS GANHOS E PERDAS EM NOSSOS "TRATAMENTOS DE SAÚDE"!!!

ESSA UTILIZAÇÃO MEDICAMENTOSA EXCESSIVA PRECISA ACABAR! 
TEM DE HAVER UM APROFUNDAMENTO EM PESQUISAS PARA MEDIR AS CONSEQUÊNCIAS E EVITAR TANTO SOFRIMENTO! 




 Marise Jalowitzki é educadora, escritora, blogueira e colunista. Palestrante Internacional, certificada pelo IFTDO - Institute of Federations of Training and Development, com sede na Virginia-USA. Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas. Criou e coordenou cursos de Formação de Facilitadores - níveis fundamental e master. Coordenou oficinas em congressos, eventos de desenvolvimento humano em instituições nacionais e internacionais, escolas, empresas, grupos de apoio, instituições hospitalares e religiosas por mais de duas décadas Autora de diversos livros, todos voltados ao desenvolvimento humano saudável. marisejalowitzki@gmail.com 

blogs:



TDAH e outros transtornos - Você pode e deve Procurar seus Direitos como Cidadão e Consumidor 




Entrevista com Dr. Lisandro Calir Adames

Por Marise Jalowitzki



2 comentários:

  1. Parabéns pelos esclarecimentos! Sou adulta e me foi receitado esse medicamento para estabilizar o humor. No entanto, em 6 meses de tratamento engordei 8 quilos, sem contar que tenho muitos sonhos e pesadelos durante a noite, que chego a acordar exausta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que o texto foi util!
      E, nesta situação em que nos encontramos, nem dá para 'culpar' somente os médicos que prescrevem! Sim, eles deveriam conhecer a fundo os medicamentos que receitam e suas interações-complicações-consequencias! E são tantos e tantos novos produtos, as 'amostras-grátis-que-aliciam", os brindes que tantos recebem, as viagens ao exterior, os finais de semana em resorts de luxo (c direito a acompanhante)... é uma empreitada feroz, da qual só nos libertaremos com mais e mais conhecimento fidedigno. Aí, a escolha é do adulto. O mais cruel é quando envolve crianças, vítimas passíveis, sem direito a escolha! Querendo,"Anônimo", procura um homeopata ou um terapeuta floral. Com certeza haverá indicações bem mais precisas, certeiras e sem os riscos destes psicofármacos! (Inclui no texto indicações de como fazer para procurar amparo legal em caso de erros médicos). Abs

      Excluir