quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Antidepressivos, ritalina, Síndrome de Serotonina


Muitas mães contatam comunicando que, especialmente combinado com o uso de ritalina, seus filhotes estão a receber também antidepressivos, para "melhorar o nível de serotonina", e "ficar mais alegrinho". Conheça os medicamentos que, tomados em conjunto, podem provocar a Síndrome de Serotonina ou Síndrome Serotoninérgica, que pode se tornar fatal. Anfetaminas (onde também estão incluídos metilfenidato - ritalina, concerta - e venvanse (dimesilato de lisdexanfetamina ) podem causar a Síndrome, especialmente quando tomados conjuntamente com antidepressivos (causando interação medicamentosa). Lembre-se, nenhum psicotrópico é um docinho! Informe-se sobre as outras medicinas e tratamentos. 

Publicado neste blog em 03.janeiro.2018 - link: https://tdahcriancasquedesafiam.blogspot.com.br/2018/01/sindrome-de-serotonina-voce-conhece.html )


Antidepressivos, ritalina, Síndrome de Serotonina
Por Vivian Ray Harris

"Como a maioria dos meus amigos e familiares sabe, o meu filho, Mark, morreu em 18 de maio de 2017. Devido à forma inexplicável, para nós, de sua morte, fomos obrigados a pedir uma autópsia para saber o motivo de sua morte. Recebemos recentemente os resultados da autópsia. Nós (a sua esposa, Wendy, e eu) queremos partilhar o resultado disso com a nossa família e amigos por duas razões:
Em primeiro lugar, muitas pessoas pensavam que o Mark tivesse atentado contra a sua própria vida. Enquanto aqueles de nós que passaram o seu último dia com ele sabiam que não era o caso, sem ter a autópsia, não podíamos dizer isso, sem saber a causa pela qual ele morreu. Sabemos agora que ele morreu da síndrome da serotonina. Naquele dia fatídico, ele tomou o remédio contra a tosse e teve uma interação fatal com gabapentina, uma droga que seu médico prescreveu para uma utilização fora do rótulo (off-label) para tentar ajudar com suas noites sem dormir, devido aos desafios que ele enfrentou ao receber diagnóstico de bipolar.
A segunda razão pela qual queríamos partilhar isto é lançar luz sobre a síndrome da serotonina. Trabalhei no campo de saúde mental há mais de 30 anos e nunca ouvi falar desta síndrome até o meu filho morrer. Acontece que, provavelmente, há muitas pessoas que são reféns desta síndrome e quase ninguém sabe quantas pessoas já morreram por causa disso. Se nós podemos fazer apenas uma pessoa pensar sobre seus sintomas e procurar ajuda antes que lhe aconteça algo pior, ou se nós podemos fazer com que um médico pense sobre os medicamentos que ele prescreve e de como esses medicamentos podem interagir com outros medicamentos que os médficos estão a prescrever, então alguma pequena coisa positiva pode advir da nossa indescritível perda.
O nosso filho morreu em duas horas de sintomas! Talvez, se tivéssemos entendido o que estávamos a ver e tivéssemos ajudado mais depressa, talvez ele ainda estivesse conosco. Nunca vamos saber. O que nós sabemos é que nós amamos Mark mais do que podemos dizer! O buraco em nossos corações nunca vai se curar e não queremos outra mãe, pai, esposa, marido, criança, irmão ou irmã a perder alguém por algo que é evitável.
Queremos que milhares de pessoas saibam sobre a síndrome de seratonina.
Ao tomar diferentes medicamentos prescritos juntos, pode acabar com muita serotonina no seu corpo. Alguns dos tipos de medicamentos que podem levar à síndrome de serotonina incluem os usados para tratar depressão, enxaqueca e para controlar a dor. Demasiada serotonina pode causar uma variedade de sintomas leves a graves. Estes sintomas podem afetar o cérebro, os músculos e outras partes do corpo. A Síndrome da Serotonina pode ocorrer quando se inicia uma nova medicação que interfere com a serotonina contida no outro medicamento. Pode também ocorrer se aumentar a dosagem de um medicamento que já está a tomar. A condição é mais provável que ocorra quando duas ou mais drogas são tomadas em conjunto. A Síndrome da serotonina pode ser fatal se não receber um tratamento imediato.
Pode ter sintomas dentro de minutos ou horas após tomar uma nova medicação ou aumentar a dose de um medicamento existente. Os sintomas podem incluir: Confusão, desorientação, irritabilidade, ansiedade, espasmos musculares, rigidez muscular, tremores, tremores, diarreia, batimentos rápidos, ou taquicardia, pressão arterial elevada, náuseas, alucinações, reflexos hiperativos, ou hiperreflexia, pupilas dilatadas. Em casos graves, os sintomas podem incluir: Falta de ar, coma, convulsões, batimento cardíaco irregular e morte.
Por favor, se você usar os tipos de drogas listados a seguir, por favor, informe-se."







O que é a síndrome da serotonina?

A síndrome de serotonina é uma reação potencialmente grave de drogas. Acredita-se que ocorra quando muita serotonina se acumula em seu corpo. As células nervosas normalmente produzem serotonina. A serotonina é um neurotransmissor, que é um produto químico. Ajuda a regular:
  • digestão
  • fluxo sanguíneo
  • temperatura corporal
  • respiração
Também desempenha um papel importante no bom funcionamento das células nervosas e cerebrais e acredita-se que afete o humor.
Se você tomar diferentes medicamentos prescritos juntos, você pode acabar com muita serotonina em seu corpo. Os tipos de medicação que podem levar à síndrome da serotonina incluem aqueles usados ​​para tratar a depressão e enxaquecas, e gerenciar a dor. Muita serotonina pode causar uma variedade de sintomas leves a graves. Estes sintomas podem afetar o cérebro, músculos e outras partes do corpo.
A síndrome de serotonina pode ocorrer quando você inicia uma nova medicação que interfere com a serotonina. Também pode ocorrer se você aumentar a dosagem de um medicamento que você já está tomando. A condição é mais provável de ocorrer quando dois ou mais medicamentos são tomados em conjunto. A síndrome de serotonina pode ser fatal se você não receber tratamento imediato.

Síndrome de Serotonina


Revisado por Timothy J. Legg, PhD, CRNP em 7 de agosto de 2017 Escrito por Jacquelyn Cafasso

SINTOMAS

Quais são os sintomas da síndrome da serotonina?

Você pode ter sintomas dentro de minutos ou horas após tomar um novo medicamento ou aumentar a dose de um medicamento existente. Os sintomas podem incluir:
  • confusão
  • desorientação
  • irritabilidade
  • ansiedade
  • espasmos musculares
  • rigidez muscular
  • tremores
  • tremedeira generalizada e constante
  • diarréia
  • batimentos cardíacos rápidos ou taquicardia
  • pressão alta
  • náusea
  • alucinações
  • reflexos hiperativos ou hiperreflexia
  • pupilas dilatadas
Em casos mais graves, os sintomas podem incluir:
  • falta de resposta
  • coma
  • apreensões
  • arritmia cardíaca

Quais são as causas da síndrome da serotonina?

Normalmente, a condição ocorre quando você combina dois ou mais medicamentos, drogas ilícitas ou suplementos nutricionais que aumentam os níveis de serotonina. Por exemplo, você pode tomar medicamentos para ajudar com uma enxaqueca depois de tomar um antidepressivo. Certos tipos de medicamentos prescritos, como antibióticos, antivirais usados ​​para tratar HIV e AIDS, e alguns medicamentos prescritos para náuseas e dor também podem aumentar os níveis de serotonina.
Exemplos de medicamentos e suplementos associados à síndrome da serotonina incluem:

Antidepressivos

Os antidepressivos associados à síndrome da serotonina incluem:

Medicamentos de enxaqueca (categoria triptan)

Os medicamentos para enxaqueca em uma categoria de drogas chamada "triptanos" também estão associados à síndrome da serotonina. Esses incluem:

Drogas ilegais

Certas drogas ilegais estão associadas à síndrome da serotonina. Essas incluem:
  • LSD
  • ecstasy (MDMA)
  • cocaína
  • anfetaminas

Suplementos de ervas

Certos suplementos de ervas estão associados à síndrome da serotonina. Esses incluem:

Medicamentos contra a tosse

Certos medicamentos sem receita médica contra a tosse que contêm dextrometorfano estão associados à síndrome da serotonina. Esses incluem:
  • Robitussin DM
  • Delsym

Como é diagnosticada a síndrome de serotonina?

Não há teste laboratorial específico para a síndrome da serotonina. O seu médico pode começar por rever o seu histórico médico e os sintomas. Certifique-se de informar seu médico se você está tomando algum medicamento ou usou drogas ilegais nas últimas semanas. Esta informação pode ajudar seu médico a fazer um diagnóstico mais preciso.
O seu médico geralmente realizará vários outros testes. Estes ajudarão seu médico a descobrir se determinados órgãos ou funções corporais foram afetados. Eles também podem ajudar seu médico a descartar outras condições.
Algumas condições apresentam sintomas similares à síndrome da serotonina. Estes incluem infecções, overdose de drogas e problemas hormonais. Uma condição conhecida como síndrome neuroléptica maligna também possui sintomas semelhantes. É uma reação adversa aos medicamentos utilizados no tratamento de doenças psicóticas.
Os testes que o seu médico pode solicitar incluem:

Quais são os tratamentos para a síndrome da serotonina?

Se você tem um caso muito leve de síndrome de serotonina, seu médico pode apenas aconselhá-lo a interromper imediatamente a medicação causando o problema.
Se você tem sintomas graves, você precisará ir ao hospital. No hospital, seu médico acompanhará sua condição de perto. Você também pode receber os seguintes tratamentos:
  • retirada de qualquer medicamento que causou a condição
  • Fluidos intravenosos para desidratação e febre
  • medicamentos que ajudam a aliviar a rigidez muscular ou a agitação
  • medicamentos que bloqueiam a serotonina

Quais são as complicações associadas à síndrome da serotonina?

Espasmos musculares graves podem levar a uma quebra do tecido muscular. A ruptura deste tecido pode levar a danos graves nos rins. O hospital pode precisar usar medicamentos que paralisam temporariamente seus músculos para evitar maiores danos. Um tubo de respiração e um respirador irão ajudá-lo a respirar.

Qual é a perspectiva a longo prazo?

A perspectiva da síndrome da serotonina é muito boa com o tratamento. Normalmente, não há mais problemas, uma vez que os níveis de serotonina retornam ao normal. No entanto, a síndrome da serotonina pode ser fatal se não for tratada.

Como posso prevenir a síndrome da serotonina?

Você nem sempre pode prevenir a síndrome da serotonina. Certifique-se de que seu médico sabe quais medicamentos você está tomando. Seu médico deve monitorá-lo de perto se você estiver tomando uma combinação de medicamentos conhecidos por aumentar os níveis de serotonina. Isto é especialmente importante logo depois de iniciar uma nova medicação ou logo após aumentar sua dosagem.
A FDA requer rótulos de advertência em produtos para alertar os pacientes do risco de síndrome de serotonina. ( https://www.healthline.com/health/serotonin-syndrome#symptoms2 )
Outros sites:
Lisa L.:
Sinto muito pela sua perda. Eu também tive síndrome de serotonina e quase morri. Tenho uma lesão cerebral pelo resto da vida e ainda assim, com mais de 2 anos de medicina, ainda tenho muitos dos sintomas.



Paz, Amor, Serenidade, Otimismo!! Tudo vai dar certo!!!
Marise Jalowitzki
Educadora, escritora, especialista em Desenvolvimento Humano. Mãe, avó, tia e vários outros papéis humanos. Desejando aprender sempre!
Fundadora e Administradora do Grupo TDAH CRIANÇAS QUE DESAFIAM
 Marise Jalowitzki é educadora, escritora, blogueira e colunista. Palestrante Internacional, certificada pelo IFTDO - Institute of Federations of Training and Development, com sede na Virginia-USA. Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas. Criou e coordenou cursos de Formação de Facilitadores - níveis fundamental e master. Coordenou oficinas em congressos, eventos de desenvolvimento humano em instituições nacionais e internacionais, escolas, empresas, grupos de apoio, instituições hospitalares e religiosas por mais de duas décadas Autora de diversos livros, todos voltados ao desenvolvimento humano saudável. marisejalowitzki@gmail.com 

blogs:
www.marisejalowitzki.blogspot.com.br 

LIVRO TDAH CRIANÇAS QUE DESAFIAM
Informações, esclarecimentos, denúncias, relatos e dicas práticas de como lidar 
Déficit de Atenção e Hiperatividade






Nenhum comentário:

Postar um comentário